domingo, 30 de agosto de 2015

Inscrições abertas para evento de lançamento de livros

Olá todos,
segue folder de divulgação da pré-inscrição para o evento de lançamento dos livros dos professores Pablo Amster da UBA - Notas psicanalíticas para ler Lacan; e do professor Christian Dunker da USP - Mal-estar, sofrimento e sintoma.
os interessados devem enviar solicitação de reserva via email para 
psilacs@gmail.com
abraços a todos,


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Artigo "Da Verwerfung à foraclusão do Nome-do-Pai"

Olá todos,
segue o link de um artigo meu recentemente publicado na revista CliniCAPS que trata da historia do mecanismo de defesa específico da psicose de Freud a Lacan.

Da Verwerfung à foraclusão do Nome-do-Pai

Abraços,



sexta-feira, 14 de agosto de 2015

O brasão da família Borromeo

É fato conhecido que Lacan tomou conhecimento do nó borromeo, segundo ele no dia 08 de fevereiro de 1972, durante um jantar com uma amiga, aluna do curso de matemática de Guilbaut. Entretanto, pouco se fala do que Lacan queria enodar nesse momento de sua via. De toda forma, esse nó chegou ao conhecimento de Lacan através do brasão da família Borromeo de século XV no norte da Itália. 
Esse nó já era conhecido desde o século II entre os budistas, foi muito utilizado pelo cristianismo e também entre diversos outros povos europeus ao longo do tempo, geralmente como símbolo de união e força.
Para Lacan o nó borromeano lhe caiu como um anel nos dedos pois lhe permitiu pensar o enodamento de três orações na seguinte frase:

Peço-te que me recuses o que te ofereço.


Para Lacan está frase só é possível como um todo, pois se retiramos uma de suas partes, um de seus verbos, ela se desfaz. É nesse momento da lição de 09 de fevereiro de 1972 (um dia depois do referido jantar) que Lacan irá pela primeira vez apresentar o nó borromeano, para mostrar o enodamento dessas três orações na frase. Notem que o nó borromeano surge discretamente, em um pequeno quadro azul, próximo ao rabo do cavalo, neste que é o brasão da família Borromeo.


sexta-feira, 31 de julho de 2015

Aula aberta do curso de topologia com lançamento de livros

Olá todos,
segue o folder do evento que será uma aula aberta do curso de topologia "Quer que eu desenhe?" que está ocorrendo na FAFICH/UFMG. Teremos como convidados para o evento o professor Christian Dunker, da USP e também o professor Pablo Amster, da UBA. No dia do evento também teremos as participações das professoras da UFMG Andréa Guerra e Angela Vorcaro.
Mais informações no próprio folder.
Imperdível!!!
Abraços a todos,






terça-feira, 28 de julho de 2015

Início do terceiro módulo do curso "Quer que eu desenhe?"

Olá todos,
começa na primeira semana de agosto o terceiro módulo do curso de introdução à topologia lacaniana "Quer que eu desenhe?" Nesse terceiro módulo será trabalhada a chamada segunda clínica, ou segundo ensino de Lacan: os nós e as tranças.
Abraços a todos,


quinta-feira, 2 de julho de 2015

Minicurso de introdução à topologia em Divinópolis

Olá todos,
Em setembro ocorrerá a 4ª Semana da UEMG e teremos diversos eventos em Divinópolis que estarão alinhados a isto. Entre eles teremos uma aula aberta de introdução à topologia lacaniana, que ocorrerá no dia 15/09 a partir das 18:30hs nas dependências da unidade Divinópolis da UEMG.
Ainda não tenho informações de como serão feitas as inscrições para os diversos eventos, mas de toda forma gostaria que os interessados entrassem em contato comigo por email (como consta no pé da página do blog Psicanálise e Afins).

Abraços a todos,


terça-feira, 30 de junho de 2015

A banda de Möbius

Olá todos,
Ficou faltando em nossas postagens recentes a Banda de Möbius. Esta figura tem seu nome em homenagem a August Ferdinand Möbius que a estudou em 1858, buscando uma premiação da Academia de Paris. Entretanto a história nos mostra que Johann Benedict Listing já havia feitos estudos sobre essa mesma figura alguns meses antes. Como os dois foram alunos do matemático Carl Friedrich Gauss, supõe-se que a origem das ideias sobre esta interessante figura já estivesse no pensamento de Gauss.
No uso lacaniano dessa figura podemos observar que localmente, a estrutura da Banda de Möbius apresenta dois lados, ainda que saibamos que isso é um engodo. Poderíamos pensar isso como as duas faces do signo linguístico: significante e significado, mas o que vemos é que na volta do dito, na volta temporal sobre a Banda de Möbius, ao perfazer todo seu percurso, o ato do analista se faz como corte, e descola significante e significado, fazendo aparecer a cadeia significante que encerra um vazio entre os dois arcos que restaram do corte na banda.
Há uma mudança na estrutura da superfície e o corte revela o desejo do sujeito, ainda que como fading. Abertura e fechamento do inconsciente, encontro faltoso, afânise. O sujeito se mostra quando desaparece.

Abraços a todos,



terça-feira, 16 de junho de 2015

O cross cap

Olá novamente,
aproveito também para a presentar uma das figuras que será estudada em nosso próximo encontro: o cross cap. Esta figura não submergível no espaço 3D pode minimamente ser intuída assim:


e depois de um corte em oito interior, temos sua proximidade com o matema do fantasma


Abraços a todos,

A garrafa de Klein

Olá todos,
depois de algum tempo de trabalho pesado volto a falar do curso de topologia que está próximo do fim de sua segunda unidade. Hoje apresento aqui a garrafa de Klein, e em seu anel de falta as linhas propostas por Lacan: a identificação, a demanda e a transferência.
abraços a todos,



quarta-feira, 6 de maio de 2015

O Torus

Olá todos,
nessa semana em nosso curso de introdução à topologia lacaniana Quer que eu desenhe? veremos uma das primeiras figuras da topologia de superfície estudada por Lacan - o Toro (Torus). A partir dessa figura discutiremos alguns conceitos da topologia como orientabilidade, imersão, fechado/aberto, etc... e alguns da própria psicanálise como a demanda (D), o desejo (d) e a identificação.
abraços a todos,